Regras básicas pra acertar na gramática

A+ A-

                  

Gente, a língua portuguesa é linda e fica bem mais fácil dominar ela com a ajuda de livros gramaticais, viu? Eles são cheios de informação e costumam ser bem bem simples de entender! Agora, pra quem tá precisando de uma ajudinha ainda mais prática, tem algumas dicas que eu preparei. Vem ver!


Palavras que confundem

 

Tem algumas palavras que são bem parecidas e costumam fazer confusões no dia a dia. O bom é que tem essa listinha com exemplos práticos pra você acertar no que vai dizer! Olha só:


Mas ou mais: olha, o mais é usado pra dar uma ideia de quantidade ou força de algo, tá? Você pode dizer que tem muito mais maçãs que alguém, por exemplo. Ou então que um de seus amigos é mais divertido que outro! E o contrário dessa palavra é menos.


Já o mas é usado pra falar de uma coisa que é o contrário de outra! Então, dá pra dizer que você pensou em ir ao cinema, mas perdeu a hora e não saiu de casa, viu? Dá pra trocar por porém ou contudo, entre outros termos.


Mau ou mal: tem um jeito bem simples de saber essa diferença! Mau sempre vai ser o contrário de bom, tá? Ele é um adjetivo e, por isso, fala sobre a qualidade de alguém ou alguma coisa! Exemplo: Ele é um mau perdedor.


Agora, a palavra mal é o contrário de bem! Então, se alguém teve que fazer uma apresentação na frente de muita gente e não conseguiu explicar o que queria, essa pessoa falou mal!


Cumprimento ou comprimento: comprimento é sempre pra falar do tamanho, viu? Então, quando quiser falar de como uma casa é grande ou pequena, vai falar que ela tem tantos metros de comprimentos e tantos metros de altura, sabe?


Já o cumprimento é o que você faz quando encontra uma pessoa conhecida, como um movimento de cabeça, um sorriso ou diz oi pra mostrar que viu ela.


Ah, essa palavra também pode ser usada quando você quiser dizer que alguém cumpriu com o que era esperado, o cumprimento de uma obrigação, por exemplo.


Conserto ou concerto: a palavra conserto mostra que você arrumou o que tava quebrado, viu? Já concerto é uma apresentação de música!


Por que, porque, porquê ou por quê: tem vários jeitos de escrever essa palavra e cada um deve ser usado numa situação, tá?


- Por que: separado e sem acento, é a escolha ideal pra quando você vai começar uma pergunta, viu? E também pode ser usado no meio de qualquer frase! Daí, a dica pra acertar é perceber que dá pra trocar ele por: pelo qual, pela qual, por qual motivo ou por qual razão.

- Já o por quê, separado com acento, deve ser usado somente no final de frases, combinado? Exemplo: Você não me telefonou ontem por quê?

- O porque, junto e sem acento, vai ligar duas ideias dentro de uma frase e dar um tom de explicação, viu? Você pode pedir que alguém pare de gritar porque incomoda os outros. A dica é tentar trocar ele por: pois!
 
- E o porquê, junto e com acento, é igual a motivo, tá? Então, se puder dizer que não sabe qual o motivo de o lanche ter queimado, por exemplo, pode falar também que não sabe o porquê do lanche não ter dado certo!


Eu ou mim: usar pra eu tá certo só quando você vai dizer que fez algo, combinado? É que mim não pode ser usado pra conjugar verbo. Então, o ideal é dizer pra eu ler, e não pra mim ler. Agora, dá pra dizer que meu amigo trouxe um livro pra mim, por exemplo!


Vírgula


Olha, as vírgulas muitas vezes são colocadas nos textos sem fazer muito sentido, viu? Se tiver com dúvida, o ideal é pensar no que você quer dizer e usar a vírgula como uma paradinha pra quem vai ler poder recuperar o fôlego!


Além disso, uma dica fácil pra nunca errar é levar em conta que a vírgula não separa sujeito de verbo, tá? Eu explico: na frase João comeu três fatias de doce, não faz sentido colocar uma vírgula entre João e comeu!


Tem muitas regrinhas pra usar a vírgula na língua portuguesa! Então, pra conhecer elas, vale a pena investir num livro como o Manual da Boa Escrita!


Acentos

Os acentos vão dar destaque pra uma parte da palavra, viu? O til é bastante conhecido como um acento, embora tenha muita polêmica se dá pra chamar ele assim ou só de sinal gráfico. O importante é você saber que ele sempre serve pra deixar o som das letras A e O um pouco analasado, como em amanhã e sabão!


Já o acento circunflexo é aquele chapeuzinho que deixa o som das letras A, E e O mais forte e fechado, como em tâmara, purê e metrô!


Além desses, tem o acento agudo, que é aquele risquinho que serve pra destacar qual é a parte mais forte de uma palavra, como refém. E a crase, também chamada de acento agudo, que só aparece em cima da letra A e costuma mostrar que numa parte de um texto tem combinação de um artigo A com a preposição A. Como no exemplo Leila vai à escola!


A crase também tem muitos detalhezinhos pra usar ela do jeito ideal! Pra você ter uma ideia, tem livros inteiros que falam sobre isso, como o Crase sem Crise. Vale a pena ler!

 

Ah, você chegou aqui porque precisa de uma ajudinha pra ir bem num concurso público? Então, vale a pena dar uma conferida nessa matéria aqui também!


Quer saber ainda mais sobre regrinhas do português? Aqui no Magazine Luiza tem livros de regras gramaticais bem práticos pra você! Vem ver!