Calcule seu IMC

A+ A-

Estar em paz com a balança não é uma tarefa fácil. Em busca de um corpo perfeito muitas pessoas acabam colocando em risco seu próprio bem-estar. Dietas ?milagrosas? e cirurgias desnecessárias são exemplos de atitudes cada vez mais comuns na sociedade. Mas, o peso não é apenas uma questão de estética e sim de saúde.

A forma mais simples de saber se seu peso está próximo do ideal é calcular o IMC, sigla para Índice de Massa Corpórea. A fórmula do IMC consiste na divisão do peso em quilos pela altura ao quadrado: 

peso em quilos
(altura em metros) x (altura em metros)

Os especialistas consideram como peso saudável o IMC com resultado entre 20 e 25. Resultado abaixo de 20 significa que a pessoa está com peso inferior ao recomendado, o que pode indicar desnutrição e oferecer risco para o surgimento de algumas doenças. Quando o IMC está entre 25 e 30 a pessoa apresenta sobrepeso, ou seja, um pequeno aumento de peso pode resultar em obesidade. Neste caso, é recomendado adotar mudanças nos hábitos, como a prática de atividade física e a reeducação alimentar afim de evitar complicações decorrentes da obesidade. Índices de Massa Corpórea superior a 30 sinalizam um grande risco à saúde, pois indicam obesidade.

IMC na infância

O cálculo utilizado para saber se a massa corpórea de um adulto está numa faixa saudável não pode ser aplicado em crianças. É natural que as crianças sejam mais cheinhas quando bebês e que passem a engordar menos durante o crescimento. Os recém nascidos, por exemplo, dormem praticamente o dia inteiro, gastam pouca energia e mamam em curtos intervalos de tempo. Com o desenvolvimento a criança aprende a brincar, engatinhar, andar, passa mais tempo acordada e começa a queimar calorias. A cada mês uma criança saudável aumenta de peso, o que não significa que a quantidade de gordura no corpo esteja elevada, como a estrutura óssea e todo o organismo também estão em expansão, o peso aumenta naturalmente.

Por isso, foi elaborado um IMC especial para crianças e jovens de dois a 20 anos de idade. Neste conceito específico, os especialistas avaliam além do peso e da altura a faixa etária da criança, bem como, o histórico familiar e o sexo. Provavelmente, uma criança gerada em uma família com pessoas de baixa estatura não atingirá 1,90 m de altura.

Todas as informações são anotadas em gráficos periodicamente e ao longo deste acompanhamento é possível perceber se a criança está se desenvolvendo adequadamente, se caminha para um peso abaixo do normal ou para a obesidade. Por isso, é tão importante visitar o pediatra regularmente e não apenas em casos emergenciais. Somente com este histórico o médico poderá prevenir o surgimento de doenças graves na vida adulta.

Na infância cada caso deve ser avaliado individualmente, pois existem crianças que crescem rapidamente, se tornam o mais alto da turma e na adolescência são ?alcançados? pelos colegas. Também existem os que amargam o rótulo de baixinho por um longo período e de repente ?esticam?. O mesmo pode acontecer em relação ao peso, o fofinho de hoje pode ser o magrinho de amanhã. O importante é ficar atento, sempre buscar a orientação de um médico e evitar comparações com estereótipos ou tendências da moda. Auto-estima e equilíbrio emocional também são questões de saúde.

Outros métodos

Além do IMC, os especialistas avaliam se o paciente tem excesso de peso medindo também a circunferência da cintura e analisando fatores de risco para a obesidade como, por exemplo, colesterol, pressão alta, tabagismo e glicose.

Existem exames mais detalhados que verificam com maior precisão a quantidade de gordura corporal, mas devem ser realizados apenas por profissionais capacitados. Os exames são:

- Medida de dobra subcutânea - a camada de gordura subcutânea é avaliada com uma pinça que ?dobra? a pele.
- Impedância bioelétrica - mede a capacidade de oposição do corpo a um fluxo de corrente elétrica, em tecido magro a impedância é baixa e alta em tecido gorduroso.

Além do corpo, você também deve se preocupar com seu coração. Ele é um ótimo indicador do seu condicionamento físico. Monitorar sua frequência cardíaca tem grande importância no seu programa de atividade física, principalmente nas atividades aeróbicas como a corrida.

A maneira mais fácil de realizar essa tarefa são os monitores cardíacos, que medem os batimentos do coração e transmitem as informações para um receptor informando quantas vezes o seu coração está batendo por minuto. Você encontra diversos modelos em nossa página, desde relógios da Oregon com sensor de velocidade, distância e calorias, até monitores com GPS como os oferecidos pela Garmin.

Se você procura ainda mais modernidade, o Data Recorder da Timex armazena informações do seu monitor cardíaco, que podem ser enviados para o computador através de conexão USB.

Não perca tempo e acompanhe de perto os progressos do seu corpo!